A qualidade da imagem será melhor que a de um DVD.

Num primeiro momento, o principal impacto será a alta definição de imagens e som. A qualidade da imagem será melhor que a de um DVD. Com o tempo, outras funcionalidades devem ganhar força: a “mobilidade” e a “portabilidade” (possibilidade de ver TV em carros, notebooks e celulares, por exemplo), a “multiprogramação” (recepção de mais de um programa no mesmo canal) e a “interatividade” (possibilidade de participar dos programas e fazer compras diretamente pela TV).

A transmissão digital é gratuita, mas só estará disponível para quem comprar um conversor digital (também chamado de set-top box). Nos próximos meses, muitos fabricantes venderão TVs já prontas para receber o sinal, com os set-top boxes integrados.

Para os telespectadores, os números usados para sintonizar os canais atuais (analógicos, em geral transmitidos em VHF) não mudam. Mas cada emissora terá um novo canal em UHF para a transmissão digital. Por isso, para receber o novo sinal, será necessário comprar uma antena UHF.

Apesar de os canais terem números diferentes nessas faixas (em São Paulo, a TV Globo, canal 5 no VHF, será o canal 18 em UHF), os conversores serão programados para “entender” seus usuários. Assim, sempre que o telespectador digitar o número 5, o set-top box se conectará à TV Globo no formato digital (canal 18) – essa função que dispensa a necessidade de decorar novos números é chamada de canal virtual. Os números dos canais, tanto em VHF quanto em UHF, podem variar de acordo com a região do país.

A nova tecnologia também mudará o jeito de ver TV. A distância até a televisão, por exemplo, deve ser 3 vezes a altura da tela, recomendam especialistas. Uma TV LCD de 32’’ pede uma distância de 3 metros – a de 70’’, 6 metros. O formato da transmissão digital é de 16:9 (mais largo que o modelo convencional, de 4:3), aumentando o campo de visão do telespectador e, conseqüentemente, a sensação de imersão.

A transmissão digital, incluindo alta definição, mobilidade e interatividade, estará disponível para os canais abertos. A TV a cabo já opera parcialmente no ambiente digital, mas ainda tem barreiras a vencer quando se fala em alta definição.

Adaptação

Quem não quiser aderir agora à TV Digital terá tempo. O fim das transmissões analógicas só está marcado para 29 de junho de 2016.

“A curva de penetração da nova tecnologia, como de qualquer outra, pode ser lenta: depende muito do mercado e da competitividade. É certo, no entanto, que o preço dos dispositivos começa alto, mas depois cai vertiginosamente”, acredita Carlos Fini, gerente de manutenção e tecnologia da TV Globo de São Paulo.

A Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletrônicos (Eletros) estima em R$ 700 o preço dos conversores digitais. Se quiser o melhor proveito possível da alta definição, o usuário precisará comprar um aparelho de TV com tecnologia Full HD, geralmente mais caro que os tradicionais.

Por conta da necessidade de investimento no conversor e possivelmente num aparelho de TV, é possível que a “portabilidade” e a “mobilidade” representem os primeiros grandes impactos causados pela TV digital no Brasil.

Alternativas

Na estréia das transmissões digitais no país, os consumidores poderão acompanhar os programas em televisores portáteis adaptados ao padrão brasileiro. Já os usuários de telefones celulares terão de esperar um pouco mais até que possam comprar no Brasil aparelhos adaptados, capazes de receber a programação da TV digital. A previsão para o início das vendas desses celulares é o primeiro semestre de 2008.

A soma do gasto nesses equipamentos portáteis pode ser menor do que a compra de um aparelho normal de TV adaptado ao sinal digital.

Se a ansiedade for grande, é bom lembrar que eletrônicos adquiridos no exterior não poderão receber a transmissão no Brasil. Por conta das adaptações feitas para a criação do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD-T), o conversor digital é específico para o país.

Outra funcionalidade que ainda está em discussão é a multiprogramação. A idéia de usar um único canal UHF para transmitir mais de um programa pode não ser economicamente viável para as emissoras, que teriam de investir mais na produção de conteúdo digital. Já a interatividade, que funciona como um diferencial na programação, será explorada pelas emissoras assim que os set-top box estiverem adaptados para essa funcionalidade.

“Na estréia da TV digital, o foco estará voltado à qualidade de som e imagem”, disse ao G1 José Marcelo Amaral, vice-coordenador do módulo de mercado do Fórum Brasileiro de TV Digital e diretor de tecnologia da Record.

Imagem

Na nova forma de transmissão, as imagens são mais nítidas, sem ruídos ou interferências, pois não há perda de sinal da antena até a recepção doméstica. O conteúdo é transmitido em pacotes binários (de “0” e “1”, como na informática) e chega ao aparelho de TV das residências exatamente como foi transmitido pela emissora. Outro aliado da alta definição é o formato 16:9, padrão no cinema, que oferece um campo de visão maior que o padrão 4:3, comum nos televisores analógicos.

Imagens mais fiéis, com alta qualidade, significam um nível de detalhes mais preciso. Por isso, cenários, figurinos e maquiagens dos programas gravados em alta definição precisam ser revistos para que os defeitos, antes imperceptíveis ao público, não prejudiquem a qualidade dos programas.

Perguntas e respostas

Quando começa a TV digital?
A TV digital será lançada oficialmente na grande São Paulo no dia 2 de dezembro. Depois disso, essa nova tecnologia de transmissão vai se expandir para outras regiões do país. De acordo com o Fórum Brasileiro de TV Digital, até 2013 a novidade deve estar disponível em todo o Brasil. A previsão é que, no semestre que vem, esteja disponível também no Rio de Janeiro.

O que muda com a TV digital?
As principais mudanças trazidas por essa novidade são imagem e som de maior qualidade, além de mobilidade, portabilidade, multiprogramação e também a possibilidade de o telespectador interagir com os programas da TV. Saiba mais.

A TV digital é gratuita?
Sim, essa forma de transmissão é gratuita. Porém, para acessar os canais em alta definição, é necessário ter um conversor digital (set-top box) ou uma TV já adaptada e uma antena UHF. Para obter a melhor qualidade das imagens de alta definição, também é preciso ter um aparelho de TV com tecnologia Full HD (1.920 x 1.080).

Quanto se gasta para comprar esses equipamentos?
Depende do nível de qualidade desejado. O gasto pode ficar entre R$ 100 (se o governo atingir seu objetivo de reduzir os preços) e R$ 800, na compra do conversor digital. Se o usuário preferir qualidade digital em TV de plasma ou LCD, gastará de R$ 2 mil a R$ 270 mil. TVs modernas, com o receptor digital integrado, devem ter preço de 10% a 15% maior que os modelos correspondentes sem o receptor. Com o tempo, os preços devem diminuir.

Serei obrigado a migrar para a TV digital?
Não, pelo menos nos próximos anos. De acordo com o decreto 5.280 (29 de junho de 2006), a transmissão analógica só deve deixar de existir em 29 de junho de 2016. Até lá, os telespectadores poderão continuar assistindo à TV com transmissão analógica.

Vou poder gravar a programação?
Sim, mas o usuário estará sujeito às leis de direitos autorais e às regras dos detentores de conteúdo.

A TV digital também vai transmitir programas antigos?
Sim. Os canais transmitidos digitalmente terão exatamente a mesma grade de programação que as suas versões transmitidas de forma analógica — a imagem das “velharias” também será melhor na TV digital, pois ela elimina sombras e interferências que ocorrem durante a transmissão da emissora para as residências. Os programas já produzidos para a TV de alta definição terão melhor qualidade que os demais.

Essa nova forma de transmissão está disponível para canais a cabo?
Não, porque tratam-se de meios diferentes: a TV digital trafega pelo ar, enquanto a outra trafega por cabos espalhados pela cidade.

Todas as funcionalidades da TV digital estarão disponíveis na estréia?
No início, a transmissão digital no Brasil terá como foco som e imagem digitais. Também na época da estréia, será possível assistir à TV em dispositivos portáteis, assim que colocados à venda no mercado. Depois, com o passar do tempo, a interatividade deve ganhar força.

O que é mobilidade?
Mobilidade é a transmissão digital para televisores portáteis, como por exemplo aqueles utilizados em veículos.

O que é portabilidade?
Portabilidade é a transmissão digital para dispositivos pessoais, como PDAS e celulares.
Como será a interatividade?
As possibilidades são inúmeras. Com o controle remoto, por exemplo, os usuários poderão votar, responder a testes, acessar mais informações sobre os programas e, futuramente, até comprar produtos anunciados na televisão. Tudo será feito por meio de um sistema desenvolvido no Brasil, o Ginga, que possivelmente não estará disponível nos primeiros conversores. Por isso, as possibilidades de interação devem estar disponíveis pouco depois da estréia da TV digital.

O que é multiprogramação?
É a possibilidade de as emissoras transmitirem mais de um programa simultaneamente – ou até mesmo ângulos de câmera diferentes em um jogo de futebol. Isso dá às emissoras flexibilidade para explorar desde alta definição até vários programas dentro de um mesmo canal.

Quais as especificidades do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD-T)?
O padrão brasileiro para a transmissão de imagens tem como base o padrão japonês, que viabiliza a mobilidade, portabilidade e alta definição. As principais adaptações do modelo nacional estão ligadas ao tipo de compressão dos arquivos (H264) e ao desenvolvimento de um sistema de interatividade próprio (Ginga).

A tecnologia de compressão de arquivos adotada pelo Brasil, chamada H264, consegue enviar maior quantidade de dados que o modelo japonês (MPEG2) sem aumentar o tamanho do arquivo. Isso resulta em conteúdo de maior qualidade com a mesma velocidade de transmissão de dados.

Outra mudança do padrão brasileiro é a adoção do Ginga, sistema de interatividade nacional desenvolvido em parceria pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Posso comprar no exterior um equipamento para assistir à TV digital no Brasil?
Não. O sistema de TV digital adotado será exclusivo do Brasil. Por isso, os equipamentos comprados no exterior não vão funcionar por aqui, a não ser que sejam fabricados no exterior de acordo com as especificações brasileiras. Essa restrição vale para televisores portáteis, telefones celulares, conversores digitais e aparelhos de TV com conversor integrado.

Como faço para acessar a TV digital?
É necessário adquirir um conversor digital e ter também uma antena UHF. As emissoras de São Paulo, que realizam a transmissão analógica em VHF, terão também canais UHF para a transmissão digital. Graças a uma função chamada “canal virtual”, não será necessário decorar novos números: ao digitar 5, por exemplo, o conversor sintonizará a TV Globo transmitida digitalmente (na realidade, correspondente ao canal 18 no UHF).

Vou precisar de um aparelho novo para ver a TV digital?
Provavelmente, não. Quase todos os aparelhos fabricados nos últimos anos têm entradas para áudio e vídeo, que são necessárias para o funcionamento do set-top box (conversor). No entanto, a qualidade das imagens varia. Se quiser tirar o melhor proveito da alta definição oferecida pela TV digital, é necessário ter uma televisão com tecnologia Full HD.

A TV digital muda o formato dos programas?
Sim. Isso acontece porque os programas gravados e transmitidos em alta definição têm formato 16:9 (relação entre largura e altura da tela), como acontece no cinema. Na transmissão analógica, o formato é mais quadrado: 4:3. Com a TV digital, será possível ver mais áreas de uma cena nos televisores modernos – assim, as emissoras terão de se preocupar com o que aparece nas áreas laterais, que antes não eram exibidas.

Como vou assistir a programas no formato 16:9 em telas 4:3 e vice-versa?
Se não quiser distorcer as imagens, a solução será o uso de faixas pretas nos cantos da tela, pois programas em alta definição (formato 16:9) terão como alvo os aparelhos de TV com “tela de cinema” (também 16:9). Quando um programa antigo (4:3) for exibido em uma TV moderna (16:9), as faixas pretas ficarão nas laterais. Quando um programa em alta definição (16:9) for exibido em uma TV antiga (4:3), as faixas aparecerão em cima e embaixo da tela. Todas essas opções dependerão das funções disponíveis no aparelho de TV utilizado para recepção.

O televisor digital com transmissão digital reproduz a imagem com melhor qualidade

O som dos programas vai mudar com a TV digital?
Sim, porque os arquivos digitais de música não perdem qualidade durante a transmissão. Além disso, os telespectadores que tiverem home theaters em suas casas poderão usar sistema de som com áudio em 5.1 para assistir a programas de TV produzidos em alta definição, assim como já acontece com os DVDs.

Wagner adverte auxiliares sobre corrupção

Ao lançar ontem, na Assembléia Legislativa, o programa Transparência Bahia, que permitirá aos cidadãos acesso via internet à contabilidade da administração pública estadual, o governador Jaques Wagner fez uma grave advertência a sua equipe de trabalho: “Não aceito ter amigos ou colaboradores que transgridam a lei. Quando o fizerem, busquem um advogado, não me busquem, porque não protegerei aqueles que agem fora da lei”. Através do site http://www.sefaz.ba.gov.br, será possível verificar todas as informações relativas a receitas e despesas do governo, incluindo os gastos com educação e saúde, o cumprimento dos limites fixados pela Lei de Responsabilidade Fiscal e os pagamentos feitos a fornecedores e prestadores de serviço. Estarão disponíveis todos os dados do Sistema de Informações Con-tábeis e Financeiras (Sicof), exceto das empresas estatais não dependentes e das receitas próprias das empresas públicas, que têm sistema contábil específico. Na consulta aos números, o interessado, dispondo da lista dos órgãos pagadores, poderá escolher o período do ano que pretende checar e o tipo de pagamento – se compras, serviços, obras ou convênios. Para dar uma visão completa de onde o governo empregou o dinheiro público, serão informados a unidade gestora, data, modalidade, valor, agência recebedora e número da nota fiscal, além de dados sobre a previdência dos servidores (Funprev) e o plano de saúde (Planserv). O governador disse que a decisão de criar o Transparência Bahia não obedece a “matiz ideológica de esquerda ou direita, conservadora ou progressista”, mas ao “mandamento constitucional de absoluta transparência”. “Considero”, afirmou, “que essa ferramenta é para que os deputados, a sociedade civil e a imprensa possam contribuir nesse processo de fiscalização”. Para Wagner, isso “é exercer o poder em nome da sociedade, e não sobre a sociedade”. O programa foi criado com base em instrumento semelhante lançado pelo governo federal em 2004, e nesse aspecto Wagner fez questão de dizer que o então ministro Waldir Pires, na Contro-ladoria Geral da União, foi quem lançou o Transparência Brasil. “Seria usurpar legitimidade se eu aqui não lembrasse seu nome”, completou. O governador anunciou que encaminhará mensagem à Assembléia propondo a constituição da Controladoria Geral do Estado, que vai “uniformizar procedimentos” e estabelecer uma “linha de contato para facilitar o trabalho” do Tribunal de Contas. O governador Jaques Wagner disse que perseguirá até o último momento a unidade da base governista nas eleições municipais de 2008 e lembrou que essa fórmula resultou na vitória que ele próprio obteve no último pleito. Indagado se isso será possível com candidaturas postas entre seus aliados, como as de João Hen-rique (PMDB) e Antonio Imbas-sahy (PSDB), além da do PT, não quis adiantar que postura adotará, reiterando que lutará até o último momento pelo candidato de consenso. Wagner ressaltou que sua posição decorre da nova prática política que se instalou na Bahia desde que se elegeu, em 1º de outubro, pela qual “não há alguém que mande”. Ele acha que “o tempo mudou, acabou aquela era de um lado certo e outro errado, pois o Estado “ingressou agora na maravilhosa complexidade da política”. Sem citar nomes, mas numa referência ao falecido senador Antonio Carlos Magalhães, ele entende que sem sua “presença física” haverá uma reacomodação de forças, num processo que “é mais bonito, mas também é mais difícil”. O deputado federal Jutahy Júnior (PSDB) disse que seu partido é aliado do governador Jaques Wagner, sendo ”óbvio” que não poderá se aliar, nas eleições municipais do próximo ano, com o DEM, antigo PFL, “que reúne os principais adversários do governador”. O parlamentar confirmou que Antonio Imbassahy deverá ser o candidato tucano em Salvador e que, no cargo de prefeito, “terá uma parceria com Wagner”.(Por Luis Augusto Gomes)

ACM havia sido hospitalizado em quatro oportunidades neste ano. O político baiano era diabético e tinha problemas renais e cardíacos.

Uma das principais lideranças da política nacional, o senador Antonio Carlos Magalhães (DEM-BA) morreu nesta sexta (20), aos 79 anos, no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor), em São Paulo.
Segundo nota divulgada pela assessoria do Incor, ACM morreu às 11h40 desta sexta “em decorrência de falência de múltiplos órgãos secundária à insuficiência cardíaca”.
De acordo com a assessoria do senador, o velório será no Palácio da Aclamação e o enterro, no cemitário Campo Santo, ambos em Salvador (BA). Segundo a assessoria, o corpo não deverá deixar o hospital antes das 14h, por conta dos procedimentos burocráticos relacionados à liberação.
A Presidência da República vai colocar à disposição da família um avião para transportar o corpo de São Paulo para Salvador.
O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), divulgou nota na qual “lamenta o falecimento do senador” e decreta luto oficial de cinco dias no estado.
“Durante as últimas décadas, Antonio Carlos Magalhães exerceu reconhecida liderança política na Bahia e no Brasil, onde ocupou, sucessivamente, os mandatos de deputado estadual e federal, Prefeito de Salvador, Governador do Estado por três vezes, Ministro de Estado e Senador da República”, diz a nota.
Problemas renais e cardíacos
A saúde do político baiano, diabético e com problemas renais e cardíacos, agravou-se em 2007. Debilitado, ACM foi hospitalizado quatro vezes neste ano. Em março, foi internado no Incor com quadro de pneumonia e disfunção renal. Depois, voltou a ser hospitalizado em 17 de abril, 29 de maio e 13 de junho.
Mais dois ouros e a consagração de Thiago
Nadador brasileiro vence 200m medley e ainda fatura outra medalha dourada com 4x100m

Entrevista exclusiva com a Deputada Federal Alice

Rede almeidense e a cobertura completa do lançamento do Projeto Primeiro Emprego em Conceição do Almeida

Por olívia Nacimento


Ousadia e caráter são virtudes que não faltam a deputada Federal Alice Portugal militante do PC do B na Bahia , ela que se fez presente em Conceição do Almeida para o lançamento do Projeto Primeiro Emprego na Associação Cultural Dr. José Joaquim de Almeida no último dia 18, onde a data também representa o aniversario de sua Emancipação política . .Segundo a deputada o Programa Primeiro Emprego prevê a indicação do alunado a cursos de profissionalização com uma bolsa com sentido de costear minimamente esse alunado dando a especialização e insentivar o mercado de trabalho a recebe-lo .É um programa que tem dado muito certo no Brasil , a nossa idéia são três turmas inicialmente em Conceição do Almeida . A vinda do secretário do trabalho esta noite aqui a Conceição do Almeida é justamente para fazer um estudo adequado de quais cursos serviriam para essa região, além desses o Programa Segundo Tempo , que servira para que no contra-turno da escola as crianças possam praticar esportes. Nós sabemos que isso antes de se arrebentar com as escolas públicas na Bahia a própria escola fazia , hoje em dia é preciso que um programa do governo Federal financiado pelo Ministério dos Esportes o faça . Então com esse programa você pode pagar um professor, um recreador essas pessoas serão profissionalizadas para assistir a juventude no outro turno, para que as mesmas não fiquem na rua e como o povo sabiamente bem diz”Cabeça vazia é moradia do Diabo” então para que a criança esteja dando continuidade ao trabalho escolar o Segundo Tempo será anunciado.Enfin um programa da mais importância para Conceição do Almeida.
Eu tenho feito ementas para a cidade :Cursos de Cultura, Inclusão Digital,esse ano por exemplo a nossa idéia é montar um um Infocentro apartir de uma ementa aqui em Conceição do Almeida.Sou uma porta-voz junto aos Ministérios junto com o vereador Batata a busca de incentivos para essa cidade . Eu sou uma das que protagonizou a luta em defesa da saúde em Conceição do Almeida e em São Felipe agora nós temos essa expectativa de trazer esses três programas Federais relacionados com: A Cultura,com a Saúde e os resultados virão assim que forem aprovados as ementas.
Essa cidade faz parte do recôncavo e já sustentou a Bahia, hoje é uma cidade dormitório , os seus munícipes trabalham e geram riquezas em outros lugares e voltam para rever seus parentes .A nossa expectativa é que o Almeida apartir de hoje inicie o caminho pela sua verdadeira Emancipação , faixa que lamentavelmente abandonaram, essa cidade ao seu destino e lamentavelmente fizeram o mesmo com a Bahia: com a Educação, com a Saúde, com Política de terras e aqui no Almeida a coisa mais importante que aconteceu foi o povo tomar em suas mãos essa fazenda que era do Instituto Baiano de Fumo .É muito importante que tenhamos hoje esse compromisso com todas as forças democráticas, com os partidos não importa, tomem para si a vontade de reconstruir a terra dos Almeidenses para que ela de fato verdadeiramente se Emancipe no Futuro.Nos vamos lutar com Batata e com todas as forcas democratas do município para darmos essa virada no ano que vem.
Entrevista com o Secretário de Emprego , Esporte e Renda da Bahia o Sr. Nilton Vasconcelos que está realizando um grande trabalho aqui na cidade de Conceição do Almeida que é o Lançamento do Programa Primeiro Emprego iniciando assim um vinculo de pespequitivas para os jovens Almeidenses fazendo assim a consolidação deste projeto.
O projeto primeiro Emprego é um programa do Governo Federal que tem como objetivo tentar garantir que os jovens tenham oportunidade , porque quando eles exatamente nessa faixa de 16 a 24 anos vão procurar o emprego a primeira exigência que fazem pra esses eles é a experiência no emprego, então esse programa tem uma serie de formatos entre eles o Juventude Cidadã que garante que esses alunos não só tenham formação para a cidadania, mas que possam exercer atividades físicas em cursos específicos e além disso uma experiência profissional para que os jovens possam usar como uma experiência de trabalho quando forem procurar o seu primeiro emprego.
Hoje na verdade só Vitória da conquista na Bahia com 3 mil jovens e agora nós estamos concluindo já o convenio com o ministério do esportes para incluir mais 13 mil jovens.De qualquer forma não é um numero ainda satisfatório embora seja expressivo é o maior programa desse tipo no Brasil com 13 mil jovens.Nossa idéia é estar aqui em Conceição do Almeida com algumas turmas desse programa , mas isso vai atingir no ~máximo 20 cidades na Bahia
Esse programa é realizado através da secretaria do trabalho em parceria com instituições podem ser prefeituras, podem ser Associações .Nossa idéia é que com noventa jovens divididos em três turmas nós possamos agitar um pouco essa cidade , primeiro porque esses jovens serão incluídos no programa que dura meses aprendendo a trabalhar , e durante 5 meses desse programa os jovens ganharão uma bolsa no valor de $120 reais mensais que é um apoio para esses jovens e eles como contra-partida tem que realizar trabalhos voluntários que é chamado serviço cidadão e esses serviços podem ser desenvolvidos e organizados pelos próprios jovens , em Vitória da Conquista por exemplo há uma experiência muito positiva na área do meio ambiente eles procuram organizar na cidade todo um movimento de reciclagem , reciclagem de produtos , reciclagem de dejetos domésticos em geral , falar da importância da separação do lixo pra reaproveitamento então há uma preocupação ecológica que é o alvo tão importante nos dias de hoje. Como outros programas poderão ser desenvolvidos não é necessariamente com vista ao emprego mas quando se esses não temos a jovens resolvem se organizar numa cooperativa e irão atuar de maneira autônoma o que importa é que ao final do processo eles possam ir com as próprias pernas o seu destino com mais um pouco de elementos, digamos que eles tenham de ferramentas para enfrentar a natureza do mercado de trabalho.Os cursos que o projeto trará são variados e irá depender da própria demanda local.Pode ser na área de comunicação (rádio), na área de construção civil , eletricidade na área cultural em geral depende muito do anseio local principalmente nesta possibilidade de ver o que ao final do curso esse conhecimento poderá ser aplicado.