Turquia: Protestos acirram disputa política

ImagemNo entanto, as manifestações se transformaram em protestos contra o governo em todo o país. Ativistas se enfrentaram novamente com a polícia na segunda-feira após novos episódios de violência durante a noite.

A polícia usou gás lacrimogêneo contra um grupo de manifestantes que ia para o gabinete do primeiro-ministro em Istambul, segundo a agência de notícias Dogan.

“Há aqueles que comparecem aos eventos organizados por extremistas. Isso não é mais relacionado ao parque Gezi. Estes são eventos organizados com afiliações na Turquia e fora”, disse o primeiro-ministro, durante uma entrevista pela televisão.

“O principal partido de oposição, CHP, provocou meus cidadãos inocentes. Os que produzem notícias (e) chamam esses eventos de Primavera turca não conhecem a Turquia.”

A retórica agressiva de Erdogan contrasta com o tom adotado pelo presidente turco, Abdullah Gul, que pediu calma e defendeu o direito dos manifestantes de protestar pacificamente.

Tido como mais conciliador, Gul vem se afastando de seu ex-aliado Erdogan, e o racha foi evidenciado pelos protestos atuais e com a aproximação das eleições presidenciais do país, explica Cagil Kasapoglu, do Serviço Turco da BBC.
‘Autoritário’

Os manifestantes dizem que o governo turco tem se tornado cada vez mais autoritário.

Correspondentes da BBC dizem que os manifestantes turcos temem que o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), de Erdogan, esteja tentando impor valores conservadores islâmicos no país, que é oficialmente secular, e infringindo suas liberdades individuais.

De acordo com as autoridades, mais de 1,7 mil pessoas foram presas em protestos em 67 cidades, mas muitas já foram liberadas.

Na noite de domingo, a Casa Branca disse em um comunicado que ambos os lados deveriam “acalmar a situação” e reafirmou que manifestações pacíficas são “parte da expressão democrática”.

Os EUA já haviam criticado as forças de segurança turcas por sua resposta inicial aos protestos.

Hospitais improvisados

Durante a noite, manifestantes no bairro de Besiktas, em Istambul, tiraram pedras do pavimento para construir barricadas e a polícia respondeu com gás lacrimogêneo e canhões de água.

Mesquitas, shoppings e uma universidade em Besiktas foram transformados em hospitais improvisados para os feridos durante os protestos de domingo à noite.

Milhares de pessoas participaram dos protestos do lado de fora do estádio de futebol de Besiktas, que foi recentemente desativado.

Também houve tumultos na capital, Ancara, e na cidade costeira de Izmir, no oeste, assim como em Adana, no sul, e Gaziantep, no sudeste.

Na semana passada, o governo aprovou uma lei proibindo a venda e a propaganda de bebidas alcoólicas.

Erdogan disse que os manifestantes são antidemocráticos e foram provocados pelo Partido Popular Republicano (CHP), de oposição.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s