O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou hoje que o Brasil e a Índia têm "problemas e virtudes parecidos"

Nova Délhi, 3 jun (EFE) – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou hoje que o Brasil e a Índia têm “problemas e virtudes parecidos”, o que possibilita que os dois países tenham um “bom entendimento”, e apostou pelo futuro da relação “estratégica” que ambos estão construindo. “O Brasil e a Índia têm muitas afinidades políticas e vamos reforçá-las cada vez mais”, afirmou Lula a jornalistas antes de participar de um jantar particular com o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh. Em sua segunda visita ao país em três anos, Lula chegou hoje a Nova Délhi à frente de uma delegação de cerca de cem pessoas, boa parte delas empresários que vão à Índia explorar possibilidades de negócios na Índia. O objetivo dos dois países é quadruplicar até 2010 as trocas comerciais, que em 2006 ficaram perto de US$ 2,5 bilhões, com um balanço favorável à Índia. Lula considerou que este objetivo não é ambicioso demais, mas uma “meta possível”, levando em conta “o tamanho e potencial de crescimento dos dois países”, entre os quais a distância “não pode ser um problema”. O presidente lembrou, neste sentido, que o fluxo comercial entre os dois países já dobrou nos últimos quatro anos, mas reconheceu que um maior desenvolvimento depende “muito” da relação política que as duas nações estão construindo e qualificou a Índia de “parceiro estratégico”. Segundo Lula, sua visita a Nova Délhi tem um “fundo comercial muito grande”, assim como interesse político e um te…Advani.Na terça-feira, último dia da visita de Lula a Nova Délhi, ele deve se reunir com dois diretores empresariais e com a presidente do governante Partido do Congresso, Sonia Gandhi, e encerrará sua viagem com um encontro com a comunidade brasileira na Índia.Lula e Singh poderão voltar a se encontrar alguns dias depois, quando os dois participarem do último dia da cúpula do G8 – sete países mais ricos e a Rússia – na Alemanha, à qual foram convidados com os líderes de outras economias emergentes como China, México e África do Sul. EFE ja db/dgr

Coloque a internet em uma página só

Com uma página personalizada, você tem sites, blogs, notícias e ferramentas às mãos e em qualquer computador
Filipe Serrano
Acessar a internet é um ritual. As pessoas abrem o navegador, entram em sua página inicial, em geral o site de seu provedor, checam o e-mail, verificam se ocorreu algo de novo em um portal de notícias, entram em seus blogs favoritos, procuram vídeos no You Tube… Uma coisa de cada vez, é uma verdadeira maratona, ufa!Não seria bom entrar na internet e imediatamente cair em uma página com a sua cara, em que tudo o que você gosta ou precisa fazer na rede já está lá, ao alcance dos olhos e do mouse? E o melhor de tudo: ela pode ser acessada de qualquer computador conectado à web.Você inclui seus sites de notícias favoritos e fica sabendo na hora quando uma nova reportagem for publicada. Também vê seus e-mails fresquinhos. E sabe exatamente quando os blogs são atualizados.Além disso, dá para adicionar ferramentas bacanas, como uma agenda de compromissos, relógios com os fusos de várias partes do mundo e ainda entrar no MSN sem precisar ter o programa instalado.“É muito mais rápido para ler notícias que me interessam”, diz o publicitário Rafael Storch Freitas, de 23 anos. Ele escolheu o Netvibes para cadastrar sua página personalizada. O Link avaliou oito sites para você criar uma página e organizar sua vida virtual. Veja ao lado os prós e contras de cada um.O primeiro passo é definir qual tem a sua cara. Alguns não são traduzidos para o português. Outros dão mais opções para sua página. E há também aqueles super interativos e com visuais extraordinários.O segundo passo é escolher quais sites de notícias e ferramentas você quer. Ao criar uma conta, os sites já incluem alguns. No botão “adicionar conteúdo”, existem outras sugestões.Ao selecionar as mais interessantes, novas janelinhas aparecem na sua página. Dependendo do site, essas janelas têm nomes diferentes e complicados, como feeds, módulos, widgets, webtops, minis, flakes. Mas não é preciso ficar com medo. Os sites são fáceis de usar e dão todas as instruções.Também dá para mudar completamente o visual. Você troca as janelas de lugar, aumenta ou diminui o número de colunas, muda as cores, dá títulos diferentes para as telas e até coloca uma imagem de fundo.Os sites mais mutantes são o YourMinis e o Protopages. Não são divididos em colunas, e você deixa o tamanho das janelas do jeito que achar melhor. Se ficou difícil de imaginar, veja dois exemplos de páginas criadas pelo Link: www.protopage.com/testelink ou www.pageflakes.com/testelink. Dan Cohen, diretor do Pageflakes (um dos serviços), explica o que acontece com a web hoje. “Usuários querem se informar, se comunicar e se entreter, mas têm pouco tempo e estão cansados de portais ‘genéricos’. É mais interessante ter uma página com informações de acordo com seu interesse, o lugar onde mora, etc”, diz.Se a afirmação não é verdade para todo mundo, pelo menos vale para os internautas entrevistados. “Tenho a necessidade de acompanhar notícias e me facilitou muito. Fico mais atualizado ao que está acontecendo e só com informações relevantes”, diz o designer Adriano Estokero.Grandes empresas também estão de olho na mudança. “É uma inversão na maneira de navegar. Em vez de buscar conteúdo, o usuário recebe automaticamente aquilo que quer, em tempo real”, diz Guilherme Stocco Filho, gerente de serviços de informação da Microsoft.As páginas personalizadas dos grandes ainda deixam a desejar. O Google tem bastante conteúdo e carrega rápido, mas o visual é simples. O Live, da Microsoft, é bonitinho, mas oferece pouca variedade de feeds. O Meu Yahoo! ainda é pouco funcional, além de demorado. Mas sempre há quem goste.Uma coisa é certa. O barco da internet já é outro.